7 medidas para fazer na sua empresa em época de crise

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
7-medidas-para-fazer-na-empresa-em-epoca-de-crise

A atual situação que todos estão passando causada pelo coronavírus (COVID-19) traz uma certa insegurança para a estabilidade de empreendimentos e, de fato, a instabilidade nesta conjuntura é praticamente inevitável. Muitas empresas ficaram de porta fechadas por dias, sem realizar uma venda, porém com os boletos sendo debitados e os custos se mantendo os mesmos. Por tanto encontrar soluções para a circunstância atual e programar a recuperação dos negócios para quando a pandemia tiver seu fim são ações que todos podemos ter.

Essa situação é uma fase transitória e os empreendedores devem se preparar para uma recuperação do mercado. Neste cenário, recomenda-se que os empreendedores, antes de traçar planos de ação, façam os seguintes questionamentos:

1. O que pode ser feito para que as vendas da empresa não sofram tanto impacto? Posso achar outro meio de vender produtos da curva A?

2. É possível adaptar o dia a dia da empresa para o ambiente online?

3. Quais novos serviços ou produtos podem ser criados para a otimização do desempenho da empresa no atual momento de crise?

4. É possível reduzir os gastos?

5. Como excluir, de imediato, itens não essenciais fazendo uma reavaliação dos orçamentos?

6. Reduzir salários, temporariamente, é uma opção para a otimização do orçamento?

7. Quais são os produtos que mais oferecem estabilidade para a empresa e que podem ser o foco estratégico dos negócios na atual situação? Quais os serviços que mais representam o retorno financeiro?

8. Os colaboradores estão preparados para essa situação?

Essa reflexão é importante para se ter uma ideia de onde a empresa está no momento atual e o que pode ser feito. Além da reflexão e ideias que os questionamentos trazem para o empreendedor direcionando-o a um plano de ação. Por isso em situações como essa é significativo considerar a possibilidade do home office, o que requer o total comprometimento dos envolvidos no processo. Mas, caso seja essencial a presença dos colaboradores para que os negócios funcionam, como empresas de varejo e fábricas, é relevante desenvolver uma escala, um plantão, ou até mesmo antecipar férias individuais ou coletivas.

Para que o empreendedor alcance, nesse momento, um bom rendimento de seus colaboradores e a maior otimização dos seus recursos empresariais, é necessário que ele tenha o plano de ação bem estruturado a partir de perguntas como essas listadas acima, faça parte da execução do negócio no dia a dia e monitore as ocorrências. Também é necessário que ele seja o grande exemplo para todos os funcionários mantendo a calma e sendo transparente nas suas tomadas de decisões, raciocinando novas estratégias, revendo projetos, processos e investimentos.

Mas, entre todas as dicas e questionamentos que ajudam o empresário a se planejar para manter seus negócios ativos nesse momento de crise, a de maior importância é não se desesperar. Situações como essa são excelentes para inovar e repensar novas estratégias empresariais.

Depois de pensar e refletir sobre todo o processo, pessoas, custos, despesas podemos colocar no papal e compartilhar com o time ações que podem ser realizadas para diminuir o impacto no negócio com relação a crise do coronavírus (COVID-19). Vamos listar 7 ações que podem ser colocadas no planejamento e executadas agora, nesse exato momento.

  1. Reavalie toda dívida que está em seu nome (PF) e em nome da empresa (PJ). Os bancos abriram essa possibilidade, vá de atrás do seu gerente e verifique se o seu banco tem algo pra te ajudar com relação a isso.
  • Fale com seu contador. É importante você prorrogar todos os impostos que o governo disponibilizou, como por exemplo o pagamento dos tributos federais do Simples Nacional. Desta forma, o acerto referente aos meses de março, abril e maio deste ano ficou postergado para outubro, novembro e dezembro, respectivamente. Mas isso desde que você vá de atrás e declare para não pagar.
  • Faça um planejamento financeiro. Olhe de semana a semana. Determine o custo operacional, e comesse a reduzir. Coloque em seu sistema ou controle financeiro, separado por categorias (plano de contas) todos os custos fixos e variáveis. Isso se chama redução de impacto. Tudo aquilo que tem pouco impacto no seu processo, reduza.
  • Renegocie com fornecedores. Entre em contato e tente um prazo maior para pagamento. Cancele todos os pedidos de fornecedores que ainda estão abertos.
  • Mantenha a curva A da sua carteira de clientes. Aqueles clientes que dão maior retorno, que de certa maneira sustentam a empresa. Para esses clientes você terá que dar um jeito de vender, seja pelo telefone, por redes sociais, pelo seu site.
  • Estabeleça dentro da empresa um contato chamado “gerente de relacionamentos” ou “gerente de contas”. O teu cliente precisa estar em contato e se relacionando com uma pessoa apenas. Comunicações personalizadas em redes sociais ajudam nesses momentos.
  • Reduza qualquer tipo de investimento e gasto. Somente o custo mínimo de operação. 

E diria mais: Não foque nas notícias ruins. Busque conhecimento. Estude. Traga capacitação para sua equipe. Organize os processos da sua empresa. Não fique parado.

Parte da fonte: administradores.com.br